[RESENHA] Amoras, de Emicida

novembro 15, 2018

Sinopse: Na música “Amoras”, Emicida canta: “Que a doçura das frutinhas sabor acalanto/ Fez a criança sozinha alcançar a conclusão/ Papai que bom, porque eu sou pretinha também”. E é a partir desse rap que um dos artistas brasileiros mais influentes da atualidade cria seu primeiro livro infantil e mostra, através de seu texto e das ilustrações de Aldo Fabrini, a importância de nos reconhecermos no mundo e nos orgulharmos de quem somos — desde criança e para sempre.
“Um livro que rega as crianças com o olhar cristalino de quem sonha plantar primaveras para colher o fruto doce da humanidade.”
Sérgio Vaz



O rapper a agora também escritor, Emicida, tem seu primeiro livro laçando pela Companhia das Letrinhas e traz em sua obra temas relevantes na sociedade que buscam combater o preconceito com os negros, além da alta representatividade e inclusão, abordando também sobre a diversidade religiosa.

Ao pegarmos a raiz histórica do Brasil, é nítido que formamos um país com uma variedade gigante de pessoas, cor, religiões, etc. e ainda assim, a intolerância e o preconceito é bastante resistente na nossa sociedade, infelizmente. A ideia do Emicida em trazer Amoras, uma obra direcionada para crianças é muito boa porque são os pequenos que ajudarão a formar o futuro e a ideia de inclusão exposta no livro acaba se encaixando muito bem num processo de educação em aceitar a diversidade do que somos, fazendo com que desse modo o preconceito diminua.


A representatividade acaba sendo também um ponto forte do livro, uma vez que crianças negras tendem também a se identificar com a história, criando assim interesse por outros livros. Mas é claro que a obra pode e deve ser lida por todas pessoas, inclusive os adultos.

Além disso, a história traz personagens negros relevantes e de alta importância para representatividade no mundo, como Martin Luther King e Zumbi dos Palmares, o que achei bem legal porque desde cedo a criança acaba adquirindo conhecimento de quem foram essas pessoas importantes que ajudaram a construir e marcaram um passado histórico.



A ilustração do livro foi feita por Aldo Fabrini e está maravilhosa, assim como toda a diagramação e cuidado com a obra. A Companhia das Letrinhas está de parabéns por todo trabalho e indico para todos o livro, para poderem se aventurar nessa história de representatividade e que inspira a todos.

3 comentários:

  1. Que lindeza de livro!!
    Acho Emicida um cara muito coerente, com uma visão de mundo interessante.
    Muito bacana esse livro para as crianças; eles são o futuro, é preciso incentivar, mostrar o certo e incluir.
    Amei!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu achei muito interessante a proposta de Emicida lançam livro infantil o cara tem uma visão muito interessante do mundo e acho interessante a forma como ele decidiu passar isso para as crianças

    ResponderExcluir
  3. Oi Isadora!
    Que fofura de livro!
    Amo livros do gênero e com toda ctz já vai para os desejados.
    Bjs!

    ResponderExcluir