[RESENHA] 50 POEMAS DE REVOLTA, de Vários Autores

setembro 11, 2018

Sinopse: De Mário de Andrade a Adelaide Ivánova, a antologia reúne poemas brasileiros clássicos e contemporâneos que denunciam, cada um a seu modo, os tempos sombrios em que vivemos.
Nesta breve antologia, o leitor vai encontrar muitos motivos para se indignar. Desigualdade social, racismo, machismo, incontáveis modalidades de opressão e intolerância: quase tudo talvez se resuma à incapacidade — ou seria falta de vontade? — de enxergar o outro.
Os poemas que compõem esta seleta por vezes revelam uma ponta de esperança; outras vezes, mergulhados em desgosto, levam o desânimo e a apatia às últimas consequências. Canônicos e novíssimos, os poetas abordam questões assombrosamente atuais e contundentes, mesmo quando parecem tratar de um passado distante. Escreve Hilda Hilst: “Repensemos a tarefa de pensar o mundo”.
Com poemas de Adelaide Ivánova, Alice Ruiz, Ana Cristina Cesar, Angélica Freitas, Armando Freitas Filho, Bruna Beber, Cacaso, Carlos Drummond de Andrade, Carolina Maria de Jesus, Chacal, Claudia Roquette-Pinto, Conceição Evaristo, Fabiano Calixto, Fabrício Corsaletti, Ferreira Gullar, Francisco Alvim, Hilda Hilst, Horácio Costa, João Cabral de Melo Neto, Jorge de Lima, José Paulo Paes, Laura Liuzzi, Ledusha, Mário de Andrade, Nicolas Behr, Oswald de Andrade, Paulo Leminski, Roberto Piva, Tarso de Melo, Torquato Neto, Vinicius de Moraes, Waly Salomão, Yasmin Nigri e Zuca Sardan.

Vocês já se indignaram com a situação do país? Ou com algum ato de desigualdade social, racismo, preços exorbitantes nos produtos ofertados nos supermercados ou, até mesmo, com a situação econômica em que está mergulhada nossa nação?
Neste livro são selecionados 34 autores desde Carlos Drummond de Andrade até Vinícius de Morais e os poemas foram escolhidos a dedo para fazer o leitor refletir sobre cada aspecto de vivência atrelada a sua forma de enxergar o mundo.

Pensem bem, quando vocês passam notícias sobre algum atentado que houve no país ou no mundo mesmo, com aquela indignação breve, mas então troca de canal no conforto de sua casa e, em instantes, a notícia já vira uma nuvem nebulosa prestes a ser esquecida nos seus pensamentos, o quanto você se preocupou? No entanto, no minuto que você vai ao supermercado comprar feijão, nota-se que os preços subiram drasticamente e então aquela informação é processada, dialogada e passado adiante até que o país inteiro saiba que o feijão aumentou e que precisam fazer algo para mudar a situação. A diferença entre essas duas questões abordadas? Uma delas interfere diretamente com você, então vai atrás dessa solução. E essa é a premissa primordial do livro, te fazer refletir sobre a forma que você está vivendo e questionando o rumo que o país está sendo levado. Direta ou indiretamente, devemos estar unidos e manter o país em equilíbrio, se indignar também com atentados a terceiros, com a dificuldade financeira das pessoas e com o preconceito existente.
Esse livro não é só um livro para ser lido em uma tarde e interpretado da maneira que seu subconsciente estava entendendo naquele dia, não! Este livro é para ser lido e relido diversas vezes, interpretado de várias maneiras e questionar ao máximo tudo o que acontece em sua volta.
Não devemos nos curvar a toda forma de subordinação existente no país, devemos nos unir e mostrar que, sim, a união faz a força e a intolerância não tem vez!
Além disso, o livro aborda questões muito importantes, também, sobre racismo, machismo, intolerância de tantas vertentes e muito mais com poemas contemporâneos que fazem você relembrar várias situações em que viu determinado acontecimento, mas, por algum motivo, acabou deixando de lado; até poemas antigos que, no decorrer da narrativa, percebe que também são bastante atuais!
Para encerrar, deixarei aqui dois poemas diferentes, que se fazem curtos, mas, de longa, vem a reflexão! Este livro é à nós, pessoas com o poder de mudar um país inteiro quando unidas!

Só peço-lhes que não reflitam sobre a resenha, sobre como eu abordei as questões expressas durante a minha interpretação poética, peço-lhes que leem e julguem vocês mesmos sobre a situação em que vivemos.


2 comentários:

  1. GENTE, QUE LIVRO É ESSE?
    Não conhecia, mas amei saber sobre e já quero.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Noooossa, esse livro deve ser maravilhoso!
    Esse último poema me arrepiou inteira...
    É muito revoltante ver um país assim e que só tendo a piorar, chega a ser triste :( É muito pra refletir mesmo!

    ResponderExcluir