[RESENHA] A Incendiária, de Stephen King

maio 14, 2018

Título: A Incendiária (Firestarter)
Autor(a): Stephen King
Editora: Suma // livro recebido em parceria com a editora
Páginas: 448
Gênero: ficção científica, horror
adicione ao skoob // compre aqui

Sinopse:
Uma criança com o poder mais extraordinário e incontrolável de todos os tempos. Um poder capaz de destruir o mundo. Após anos esgotado no Brasil, A Incendiária volta às livrarias como parte da Biblioteca Stephen King, coleção de clássicos do mestre do terror em edição especial com capa dura e conteúdo extra. No livro, Andy e Vicky eram apenas universitários precisando de uma grana extra quando se voluntariaram para um experimento científico comandado por uma organização governamental clandestina conhecida como “a Oficina”. As consequências foram o surgimento de estranhos poderes psíquicos — que tomaram efeitos ainda mais perigosos quando os dois se apaixonaram e tiveram uma filha. Desde pequena, Charlie demonstra ter herdado um poder absoluto e incontrolável. Pirocinética, a garota é capaz de criar fogo com a mente. Agora o governo está à caça da garotinha, tentando capturála e utilizar seu poder como arma militar. Impotentes e cada vez mais acuados, pai e filha percorrem o país em uma fuga desesperada, e percebem que o poder de Charlie pode ser sua única chance de escapar.

Em uma época da faculdade em que estava sem dinheiro, Andy aceitou participar de uma experiência científica (se você gostaria de ler um livro que aborde esse tema, leia essa resenha) e nisso acabou ganhando poderes. Lá ele conhece Vicky e o mesmo acontece com ela. Tudo mudou quando Andy e Vicky tiveram uma filha, Charlie, com poderes de pirocinética.



Por causa dos poderes de manipulação de fogo de Charlie, a Oficina, o programa governamental clandestino que deu poderes a eles, está atrás de Charlie pra usá-la como arma militar. Isso faz com  que Andy e Charlie tenham que viver fugindo; e o poder de Charlie que deveria ser mantido em segredo, talvez seja a única maneira de salvá-los daqueles que estão atrás deles.



O poder ou impulso, como é falado no livro, de Andy é de fazer as pessoas acreditarem nele e fazer o que ele pedir, como quando ele deu uma nota de um dólar pro taxista levar ele para uma outra cidade, e o taxista acreditou que eram quinhentos dólares. Mas isso tem um custo muito grande pra Andy, pois logo após usar o impulso ele fica praticamente incapacitado, com muito dor de cabeça; o que não acontece com Charlie, que pode usar seu impulso de forma ilimitada.



A Oficina, quando está atrás dele, usa essa fraqueza a seu favor na tentativa de encontrá-los. Vemos isso pois o livro é contado sob o ponto de vista de todos os personagens em terceira pessoa, inclusive em flashbacks que são usados pra nos fazer entender como Andy e Charlie chegaram até ali.

O livro foi muito bem escrito, pois King não entrega todas as informações pro leitor de primeira, vamos conhecendo a família e aos poucos entendendo como a Oficina trabalha, os motivos deles. O livro é bem grandinho, mas estando diante de uma história interessante, cheia de ação e perseguição bem escrita, isso nem faz a diferença.



Recomendo o livro pra quem gosta de um bom livro de ficção científica com uma boa dose de ação. A Incendiária mostra o lado real das pesquisas feitas a pessoas alheias nos Estados Unidos em busca desses talentos especiais.


QUOTES:

"A vida é curta e a dor é longa, e fomos postos na terra para ajudar uns aos outros."

"Quando se tinha pensamentos ruins, era preciso pagar por eles."

"Quando estamos em uma situação ruim, às vezes é preciso fazer coisas que nós nunca faríamos se as coisas estivessem bem."

“Bem, algumas coisas são maiores do que nós dois, e outras coisas são maiores do que todos nós.”

4 comentários:

  1. Olá Carol!
    Se eu te fla que ainda não li livros do King vc acredita?
    :(
    Fico só de olho nas resenhas, infelizmente não me seguro e vou lá ver os filmes tbm...

    Este e outros do King já estão na minha listinha aguardando uma oportunidade, o livros parece ser bem escrito, a capa tá linda, me chamou atenção.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Essa capa é muito bonita, gostei dos detalhes.
    Nunca li King, não sou fã de terror nem nada do tipo.
    Agora os quotes que escolheu são lindos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oii Carol!
    Eu sou medrosa, nunca li um livro de terror ☺ HA-HA
    Mas esse me chamou muita atenção.
    Dois amantes desafortunadíssimos com uma filha poderosíssima. Uii! ( Não resisti e tive que usar superlativos para homenagear José dias de Dom Casmurro )

    Esse livro é muito lindo, seria um daqueles que eu carregaria na mão só para exibir a capa. Hahahahaha

    Adorei a resenha!

    Beijos e fique com Deus,

    Quele Lorrane ♥

    ResponderExcluir
  4. O livro parece seguir o tema que gosto, ficção científica. Ainda mais com a presença de perseguição e poderes envolvidos vi que vai me prender bem. Quero muito saber se Andy e Charlie vão se dar bem.

    ResponderExcluir