navegar pelo menu
março 18, 2019 - Um comentário





Vocês gostam de séries sobre Bruxas? Dos séculos passados? Mas também séries com uma pegada teen e que se faz presente? Hoje eu venho falar sobre a série Siempre Bruja!

Saindo dos padrões hollywoodianos, a Netflix investiu em uma série colombiana desta vez que conta a história de uma jovem negra, escrava, do século XVII, comete um crime imperdoável: se apaixonar por um homem branco, filho do seu senhor, o que acaba levando ela ao castigo mais mortal existente: ser queimada na fogueira.


O que seus senhores não imaginavam é que ela, ao ser presa para ser queimada, acaba encontrando um dos bruxos mais poderosos do século, que tem uma missão a ela, encontrar uma mulher chamada Ninibé que promete derrotar o Bruxo das Trevas e trazer a paz, com a promessa de conceder novamente o amor entre ela e seu amado. O que ninguém esperava é que essa moça está no século XXI, e então ela é enviada ao presente para encontrar uma maneira de encontrar Ninibé em Cartajena.

A série traz uma boa filmagem onde o telespectador consegue ver as diferenças entre como eram as cidades no século XVII e como estão agora no século XXI, e também nos da uma reflexão sobre como o mundo evoluiu muito nos últimos tempos, como por exemplo uma mulher negra ser escrava no século XVII e em como ela consegue frequentar facilmente a faculdade no século XXI, como todos tem mais voz e em como a sociedade é mais liberal no presente. Tudo isso mostrada de uma forma mais leve e descontraída.


É uma daquelas séries clichés do Netflix que você consegue deduzir 80% dos acontecimentos, e ainda sim não querer parar de ver porque a espontaneidade dos acontecimentos é uma distração atenuante em nossas vidas, você torce pela personagem principal, Carmén; você torce para o vilão ser derrotado, para os amigos do presente ajudarem os amigos do passado, para todo esse laço dar certo e, ao mesmo tempo, errado, porque você quer a Carmen no presente, mas a quer com seu amor no passado. Todos esses conflitos saudáveis são os que mais motiva para terminar de assistir até o último segundo. Sem falar em seus plot twists no decorrer de toda a série.

Mas, afirmo desde já, é uma série para ser vista sem muita expectativa de um enredo extraordinário, para não haver decepção, é para ser vista mais como um passatempo corriqueiro naquele final de semana tedioso que não tem muitas coisas para fazer e então decide dar uma chance.

E vocês? Já assistiram Siempre Bruja?
março 15, 2019 - Um comentário







Sinopse: Aos dezesseis anos, Brianna Hamilton fugiu da Inglaterra para a Escócia, abandonando sua família e as obrigações como herdeira de um duque. Em meio aos prados escoceses, a jovem encontrou refúgio e descobriu mais sobre a mulher que desejava ser. Mas, onze anos após a fuga, uma dolorosa verdade fará com que ela deseje nunca ter partido.
Voltar será como relembrar o passado, a fuga, o medo e as escolhas que precisou fazer. E, enquanto luta para reconquistar seu lugar junto à família, Brianna precisará superar Desmond Hunter, melhor amigo e primeiro amor, que anos atrás ela escolheu deixar para trás.
Volte para mim é um romance arrebatador sobre recomeços, sentir-se inteira e, acima de tudo, confiar no amor.
Brianna Hamilton é filha do Duque Brandon e da Duquesa Rowena. Apaixonada por sua liberdade e acreditando que pode escolher quem ou o que ela quiser, logo cedo ela descobre o que seus pais esperam de seu futuro, um pouco antes da noite do seu debute e então, assustada e com uma enorme vontade para se descobrir, ela foge da Inglaterra rumo à Escócia, terra onde seu avô materno e seu primo moram. Ainda muito jovem, ela deixa para trás Desmond Hunter, seu melhor amigo e verdadeiro amor. Com a paixão de ambos muito forte, os dois selam uma promessa de continuarem juntos quando Brianna retornar à Durham e é isso que a jovem acredita quando parte.

Mesmo com a difícil decisão de partir para longe de sua família, Brianna junta toda sua coragem para criar um plano de fuga contando com a ajuda de Desmod, que ainda desejando que sua amada fique, sabe e compreende que é necessário a jovem ir em busca de seu conhecimento, ainda que signifique que ela vá para o outro lado do reino. Com a promessa de sempre manterem contato através de cartas, um mal entendido faz com que Des entenda que Brianna fugiu para ficar com outra pessoa, o deixando com muita raiva e negando a responder suas missivas.

Quando é chegada a hora de Brianna voltar para Durham, dez anos após sua partida, ela sabe que há muitos erros que precisam ser enfrentando e que a única chance de se curarem é com o perdão e amor. Com toda coragem, ela enfrenta seus fantasmas do passado sem saber o que a espera e ainda encontrando a mãe doente. Tentando unir não só os laços de sua família como também seu passado com Desmond, há muitos erros e e tristezas a serem postos à mesa para esclarecer e é chegada a hora de tentar reconstruir essa história.


O que falar desse livro? Não sei nem explicar porque foi uma das melhores leituras que já realizei. É maravilhosa a mensagem que a autora deixa e é bem nítida sobre coragem, erros, perdão e família. Admirei muito Brianna, quis ter toda sua coragem, sofri junto a ela e sem dúvidas ela me inspirou e continuará me inspirando. Brianna soube erguer a cabeça para recomeçar, por mais difícil que seja, por mais que tenha fugido para longe de sua família e magoado pessoas, ela ainda encontra seu caminho para regressar, engolir todo o orgulho e ainda unir toda sua família que por anos teve conflitos.

Desmond é bastante cabeça dura, por anos desde que Brianna fugiu ele alimentou possibilidades falsas na sua cabeça que consequentemente o separaram e nunca se questionou para encontrar a verdade. Ainda assim, no fundo ele alimentava esperanças de que ela pudesse voltar para seus braços.

Malvina, irmã mais nova de Brianna é um amor também. Teimosa igual a irmã, ela acaba ficando com uma responsabilidade maior desde que a irmã fugiu e principalmente com a doença de sua mãe. Todos os personagens são bem construídos com características fortes e marcantes, fazendo ser impossível esquecê-los.



Volte para mim é um livro com uma história muito bem amarrada e que encanta os leitores do início ao fim. É o primeiro livro de romance de época que leio e não teve nenhum ponto que não gostei. Achei bem interessante a autora ter usado na fala dos personagens palavras diferentes, mais voltada para o ano em que se passa a história com vocabulário bem rico nesse sentido, além dos detalhes que fazem a história ser bem escrita.

Por fim, indico o livro para todos. É uma leitura leve, fácil de ser realizada e que com certeza vai encantar a todos.


março 14, 2019 - Nenhum comentário






Título: Dente de Leão // Autor(a): Mia Dailan // Preço: 29,00 // Editora: Ixtlan // Páginas: 67 // Gênero: Poesia // Adicione ao Skoob // Compre aqui
SINOPSE: “Dente de Leão” é um despretensioso livro de poesia que nasceu depois de um sonho com um Leão. São poesias simples, abraçam o cotidiano, nos fazem lembrar dos dias chuvosos e da força remanescente dentro de cada um. É um livro repleto de palavras leves como o vento.

Dente de Leão provoca reflexões e sentimentos múltiplos, suas entrelinhas guardam polaridades, duplos sentidos, significados cabíveis a qualquer história de vida que se projeta nas estrofes. O livro divide-se em três capítulos: Semente, Folha, Flor, contando com 40 poemas, sua métrica e simetria remetem à sensação de transformar-se em dente de leão. Nos sentidos mais crus.



Mia Dailan, com toda sua delicadeza, apresenta em versos o desejo da independência, de voar livre, sem amarras. Assim como um dente de leão, sua poesia é carregada pelo vento, se espalha por todos os cantos. Vai tocar quem quer que leia. Assim como dentes de um leão, de bicho, se defende de toda ameaça à sua liberdade, arranca, mastiga, se nutre, se protege, ataca, arranha, ruge, através das palavras.



Como Eu Amo
[...]
"Eu não amo como as criancinhas
Eu amo como um passarinho
que insiste em ficar preso
mesmo com a porta da gaiola aberta

Eu amo com dor
com amor
E continuo amando
mesmo sem ter inspiração
para escrever poesia
[...]
Eu amo como se ama um agasalho
num dia frio
num dia de muito frio"
[páginas 39-40]


As folhas relembram ao leitor que é preciso calma para alcançar a primavera. A flor, que se espalha com o vento, necessita da força de pulmões preenchidos. Fruto da semeação, daquilo que colocamos no universo, o pouco que tínhamos e era suficiente. Obras de arte a cada linha, selecionadas a dedo, debulhadas com o tempo. Um típico livro de cabeceira, para abrir nos dias ruins e naqueles de sorrir até doer. Poesia para fotografar, tatuar, eternizar. Esse livro precisa ser espalhado pelo mundo, estações, corações, em um sopro, feito dente de leão.


Mia Dailan é poeta baiana, regada pelas últimas águas de março que fecharam o verão de 89. Nascida em Caetité, criada em Barreiras, filha de Salvador desde os 16. Atualmente é estudante de Letras da Universidade Federal da Bahia e acredita na Poesia mais do que em qualquer outra coisa. É destemida e perseverante tal qual as filhas das águas com força de leão. A autora vende seu livro de forma independente e você pode adquirí-lo através do seu instagram @miadailan <3