[RESENHA] Princesa das Águas, de Paula Pimenta

janeiro 18, 2018


Uma releitura da história da Pequena Sereia, com a marca de Paula Pimenta, uma das mais importantes autoras brasileiras da atualidade Arielle Botrel é uma nadadora famosa, prestes a viver o maior desafio de sua vida: participar das Olimpíadas pela primeira vez. Porém, ao contrário do que todos pensam, ela não possui tudo que deseja. Por ser a filha caçula de uma grande família, a garota é muito protegida e, apesar das medalhas e dos troféus, sonha com uma vida diferente, onde possa ser livre. Até que um dia um acidente faz tudo mudar. Arielle é apresentada a um mundo diferente... E nele existe alguém que vira sua vida de cabeça para baixo. Porém, para conquistá-lo, ela terá que abrir mão de sua voz. Será que Arielle vai conseguir conquistar esse príncipe sem palavras? E se no coração dele já existir outra princesa?


Arielle Botrel é a mais nova aposta da natação de todas as pessoas para as Olimpíadas que está se aproximando, afinal, a princesa das águas praticamente "cresceu" dentro de uma piscina e nada desde criança, além de ser filha do campeão mundial de natação, Teófilo Botrel, conhecido também como o rei das águas. Apesar de ter apenas 16 anos, a garota tem que ter tamanha responsabilidade com os treinos e na escola, especialmente para não decepcionar seu pai, que é a última coisa da qual ela quer, uma vez que ele já sofreu bastante após perder a esposa que era cantora. Também por saber que as lembranças deixam seu pai triste, Arielle escolheu a piscina ao invés dos palcos, ao contrário de suas irmãs que formam a banda Mermaid Sisters.

Por conta da pressão e por viver cercada de repórteres sempre a espreita esperando Arielle dar o primeiro deslize para sair na manchete dos jornais no dia seguinte, a garota vive divida entre viver sempre protegida por seu pai e tentar levar uma vida comum como a maioria das garotas, poder ir às festas, conhecer outras pessoas, sem se preocupar com as notícias estampadas nas redes sociais e que, por muitas vezes, são enganosas.



Disposta a dar um jeitinho e poder sair para se divertir, Arielle sempre está com um disfarce preparado para não ser descoberta e às vezes até se arrisca em contar algumas mentiras e fugir para ter um pouquinho de liberdade.

Em uma viagem para terras distantes, na Suíça, onde Arielle vai participar de um torneio de natação, ela acaba se metendo na maior confusão quando o tenista Erico Eggenberg sofre um acidente ao cair na piscina, por sorte, Arielle o salva a tempo, mas alucinando por ter batido a cabeça quando caiu, Erico se lembra vagamente que foi salvo por uma garota e que a achou tão bonita quanto sua voz e por isso a chama de sereia, já que não tem mais informações sobre ela. Com o desejo de agradecer, ele faz um apelo nas redes sociais pedindo para que a garota se identifique, mas por recomendação do técnico de Arielle, Sebastião, a garota mantém em segredo tudo o que passou na Suíça para evitar ainda mais confusão com a sua imagem, ainda que depois daquela viagem, o mundo de Arielle tenha mudado completamente ao mergulhar no azul mais profundo do que de qualquer piscina, nos olhos do tenista Erico.



Contudo, com a proximidade das Olimpíadas, a última coisa da qual Arielle precisa é de distração, mas isso também significa que Erico chegará ao Brasil para participar dos jogos e fica praticamente impossível não pensar sobre isso. Ainda mantendo segredo sobre tudo o que aconteceu na Suíça e com a enorme vontade de poder conhecer mais sobre Erico, Ári conta com a ajuda de uma das nadadoras de nado sincronizado, Sula, mas a garota não mede esforços para conseguir o que quer na medida de seu interesse e será que Erico ainda tem o desejo de descobrir quem foi a sereia que o salvou no acidente?

Mais um dia e mais um livro da Paula Pimenta que vira um dos meus favoritos. Princesa das Águas não só atingiu todas as minhas expectativas, como também superou elas, conquistando uma medalha de ouro não só nas Olimpíadas, como também no meu coração!




Vocês por acaso notaram qualquer semelhança com a história da Pequena Sereia? Pois é, o livro é um releitura desse conto de fadas! A Paula escreveu uma história mais atual e repleta de acontecimentos que prendem o leitor até o último segundo.

No início, pensei que Arielle seria uma personagem mimada e até mesmo chata, mas ao longo da leitura, percebi que eu estava enganada. Ela é uma personagem que corre atrás do que quer, apesar de às vezes fazer escolhas erradas, ela sempre pensa em como suas atitudes podem influenciar outras pessoas, especialmente seu pai, que é a última pessoa da qual ela quer magoar.



Os outros personagens são cativantes e cada um com características únicas e muito bem trabalhadas. A história te prende do início ao fim, porque é impossível fechar o livro sem saber o que acontece na próxima página e realizei a leitura em poucos dias.

Indico a história para todos, porque vocês vão se divertir com as confusões que nossa princesa das águas arruma, além de morrer de ódio por alguns personagens e morrer de amor por outros, como o Erico, a blogueira Belinha e a produtora Yasmine. Me contem nos cometários se vocês já leram ou ficam com vontade!

[RESENHA] Sonata Em Punk Rock, de Babi Dewet

janeiro 15, 2018

Título: Sonata Em Punk Rock - Cidade da Música #1
Autor(a): Babi Dewet
Editora: Gutenberg
Páginas: 300
Gênero: romance, jovem adulto
adicione ao skoob // compre aqui

Sinopse:
Por que alguém escolheria uma orquestra se pode ter uma banda de rock? Essa sempre foi a dúvida de Valentina Gontcharov. Entre o trabalho como gerente do mercado do bairro e as tarefas de casa, o sonho de viver de música estava, aos poucos, ficando em segundo plano. Até que, ao descobrir que tem ouvido absoluto e ser aceita na Academia Margareth Vilela, o conservatório de música mais famoso do país, a garota tem a chance de seguir uma nova vida na conhecida Cidade da Música, o lugar capaz de realizar todos os seus sonhos. No conservatório, Tim, como prefere ser chamada, terá que superar seus medos e inseguranças e provar a si mesma do que é capaz, mesmo que isso signifique dominar o tão assustador piano e abraçar de vez o seu lado de musicista clássica. Só que, para dificultar ainda mais as coisas, o arrogante e talentoso Kim cruza seu caminho de uma forma que é impossível ignorar. Em um universo completamente diferente do que estava acostumada, repleto de notas, arpejos, partituras, instrumentos e disciplina, Valentina irá mostrar ao certinho Kim que não é só ele que está precisando de um pouco de rock and roll, mas sim toda a Cidade da Música.

Valentina, ou Tim, descobriu ter ouvido absoluto e está prestes a realizar seu sonho de estudar na Academia Margareth Vilela, mas ela vem de uma família humilde e não tem condições de se bancar, até que seu pai, que a abandonou quando era menor, aparece e diz que vai bancar seu sonho, já que ele mesmo é um músico bem sucedido que já estudou na prestigiada escola. Valentina não tem outra escolha senão aceitar ajuda, mesmo que guarde rancor do homem que a abandonou.



Tim é toda punk rock e tem um choque ao chegar no conservatório de música porque é tudo tão certinho e a música clássica é a que prevalece, e definitivamente é algo que ela não esperava, e ela vai ter que se adaptar a esse gênero novo para ela – mas também dar seu toque punk rock à Cidade da Música. Tudo que ela quer é fazer aquilo que ama: estar próxima da música, tocar e aprender o máximo dando o melhor de si.

Logo no primeiro dia que ela chega no conservatório, ela conhece Kim, um garoto arrogante que ela logo descobre ser filho da diretora da Academia. Ela o conhece em um dia que ele tinha bebido muito e ela, sem saber quem era, o ajuda a voltar pro quarto. Mas no dia seguinte, ele fica com medo dela contar pras pessoas sobre o incidente e tenta fazer com que as pessoas não falem com ela por ele ser influente – as pessoas o admiram/têm medo dele. Mas na verdade, é o tratamento de sua doença que ele não quer que as pessoas descubram, por isso prefere ficar sozinho na maior parte do tempo. Ele é um daqueles bad boys que finge não se importar com nada e nem ninguém, mas que só quer a atenção da mãe, que nunca retorna sua ligação.



Ela descobre que para continuar estudando na Academia, ela vai ter que aprender a tocar um instrumento clássico – logo ela que estava esperando apenas tocar seu violão – e escolhe o piano como seu instrumento de aprendizado. Logo no primeiro dia de aula, ela percebe que, apesar de seu ouvido absoluto facilitar sua vida – como ajudou a entrar na escola – não será tão fácil assim, e a contra-gosto, decide pedir ajuda a Kim para aprender a tocar o instrumento, já que ele é o melhor pianista dali, e por mais surpreendente que seja, ele aceita ajudá-la – já que parecia que ele a odiava, apesar de não parecer algo pessoal, já que ele era arrogante com todos ao seu redor.



O livro é contado em terceira pessoa ora sob o ponto de vista da Tim, ora do Kim, e é muito legal ver o que um está pensando sobre o outro ou certa situação.

Já li o conto da Babi em Um Ano Inesquecível e gostei muito da escrita dela, e fico feliz de ter tido a oportunidade de conferir melhor o jeito como ela cria a história e do jeito que ela fala de música, e nos faz ficar por dentro daquele mundo da Cidade da Música, e eu, pelo menos, fiquei curiosa pra ouvir música clássica, descobrindo aos poucos junto com a Tim. O livro é cheio de músicas incríveis, que vocês podem conferir na playlist no final do post.



Amei a construção das personagens, a autora conseguiu me fazer importar com todos – inclusive os secundários Sarah, Pedro e Fernando, os novos amigos de Tim; como também a antiga amiga dela, Érica, que de vez em quando aparece através de mensagens de textos em que a gente conhece um pouco sobre a vida dela e também quando Tim conta sobre o conservatório pra ela.

O livro é recomendado, apesar do final ter sido previsível e sem muitas surpresas, a mensagem que o livro traz de correr atrás de seus sonhos, não fazer pré-julgamento das pessoas e todo o desenvolvimento das personagens é o que faz a leitura do livro valer a pena.


QUOTES:

"A parte ruim até agora é ele ser de escorpião, eu não desejo isso pra ninguém."

"O amor pela música sempre deveria ser maior do que a responsabilidade."

"Era só viver um minuto de cada vez, respirando fundo e contando o tempo para deixar o desespero para trás."


Recebido da Romwe

janeiro 12, 2018

Mais um recebido da Romwe na área!



Escolhi essa camiseta xadrez meio diferente, porque vi umas fotos tumblr bem bacanas com roupa nesse estilo e quis uma, haha. A única coisa que me arrependo é de ter escolhido ela agora, já que tá tanto calor que eu quase nem consegui tirar essa foto! Mas irei guardar e usar quando o inverno chegar novamente.

Ela é maravilhosa porque pode ser usada de várias formas: toda fechada (como usei), com alguns botões abertos, ela toda aberta e encurtando as mangas. Ou seja, dá pra usar em várias ocasiões que pedem looks mais formais ou informais.

Vocês já viram alguma peça nesse estilo? Não se esqueçam de conferir o que a Isadora recebeu também.